O regulador (SEC, na sigla em Inglês) especificou na queixa apresentada na quinta-feira que Musk garantiu falsamente, num texto colocado na rede social Twitter em 07 de agosto, que tinha financiamento para comprar as ações cotadas a 420 dólares por ação, um substancial prémio em relação à cotação da altura.

Na queixa apresentada no Tribunal do Distrito de Manhattan afirma-se que Musk não discutiu nem confirmou os termos da operação com qualquer instituição que o pudesse financiar.

A SEC solicitou também uma ordem que impeça Musk de fazer declarações falsas e enganadoras, bem como que reembolse ganhos que tenha obtido e seja ainda multado.

Em declaração emitida pela Tesla, Musk considerou a ação da SEC injustificada: “Sempre agi em função dos melhores interesses da verdade, da transparência e dos investidores. Integridade é o valor mais importante da minha vida e os factos vão mostrar que eu nunca o comprometi”.

A queixa alega que a mensagem de Musk na rede social Twitter prejudicou os investidores que compraram títulos da Tesla depois da mensagem, mas antes de ser conhecida informação fiável sobre o financiamento da operação.

Derrubar Musk, que é uma celebridade com 22 milhões de seguidores no Twitter, pode ser difícil e iria prejudicar a empresa. O presidente da Tesla é visto como o líder e o cérebro por trás das operações da empresa nos carros elétricos e painéis solares.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.