O serviço de salvamento marítimo espanhol indicou ter contabilizado entre oito e dez corpos.

A embarcação foi avistada por um avião do serviço de salvamento marítimo espanhol que patrulhava a zona.

O aparelho aéreo de vigilância procurava uma embarcação que foi dada como desaparecida, após ter zarpado da Mauritânia no passado dia 15 de agosto com cerca de 40 pessoas a bordo.

As autoridades espanholas acreditam que estas 40 pessoas tinham como destino as Ilhas Canárias.

Após a descoberta feita pelo avião de vigilância, dois navios do serviço de salvamento marítimo espanhol deslocaram-se para o local, aguardando a chegada de elementos da Guarda Civil espanhola para proceder à remoção dos corpos e para confirmar o número exato de vítimas, segundo relataram as agências internacionais.

A rota da África Ocidental em direção às Ilhas Canárias é conhecida por ser extremamente perigosa, mas nos últimos tempos tem atraído cada vez mais migrantes que desejam chegar ao território europeu.

A pressão exercida pelos países abrangidos pelas rotas migratórias do Mediterrâneo, nomeadamente com o bloqueio de embarcações, também tem contribuído para o aumento do fluxo nesta via.

Desde agosto de 2019, pelo menos 357 migrantes morreram ao tentar chegar às Ilhas Canárias, de acordo com as Nações Unidas.

Durante este ano, e até à data, mais de 3.500 migrantes chegaram a este arquipélago, segundo o Ministério do Interior espanhol.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.