Na sessão solene de abertura do ano letivo do Instituto de Defesa Nacional (IDN), Azeredo Lopes defendeu o desenvolvimento de uma "cultura que aproxime os portugueses das questões da Defesa Nacional".

Uma cultura de Defesa "contribui para a consolidação da transparência e da ética em tudo o que tem a ver com a Defesa e Forças Armadas", disse, defendendo que "não há estruturas e lideranças fortes sem uma preocupação contínua com a transparência, o rigor, a conduta e a ética" e com a "prestação pública e honesta de contas, com a explicação do que se faz".

"Ora, a transparência, o rigor e a ética implicam responsabilidade e responsabilização", disse.

O governante destacou a iniciativa "Referencial de Educação para a Segurança, a Defesa e a Paz", iniciado pelo anterior governo, que junta escolas, câmaras municipais, o IDN, o ministério da Educação e a secretaria de Estado para a Cidadania e a Igualdade.

O projeto, que o ministro Azeredo Lopes quer que seja aplicado a nível nacional, pretende levar às escolas conceitos como a identidade nacional, direitos humanos, paz, a defesa, a cidadania, bem como dar a conhecer as Forças Armadas, os ramos militares e missões desempenhadas.

"Os vários projetos que temos em execução destinam-se a mostrar à sociedade em geral e aos jovens em particular" que as funções das Forças Armadas estão definidas e devem ser "conhecidas e interiorizadas" como "condição de melhor cidadania", sustentou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.