Segundo dados disponibilizados ao Jornal de Notícias pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA), a bandeira triangular vermelha, que alerta para a ocupação máxima da praia, já foi içada 2.476 vezes entre 6 de junho e 9 de agosto. Por sua vez, a bandeira amarela, que informa acerca de uma ocupação elevada — entre um a dois terços do areal ocupado — foi avistada 5.188 vezes. A verde, que dá conta da ocupação até um terço, foi içada mais de 21 mil vezes.

Feitas as contas pela APA, estima-se que, neste período, tenham estado nas praias portuguesas mais de 12,6 milhões de pessoas, sendo que o fim de semana de 4 e 5 de julho terá sido aquele com maior ocupação.


Saiba como está a ocupação das praias no nosso país, concelho a concelho


Em causa, para justificar os números, estão as altas temperaturas que se fizeram sentir. O mês de julho passado foi o mais quente em 89 anos, com o valor médio da temperatura máxima do ar a atingir os 34ºC, segundo dados do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

No final do mês de julho, o ministro do Ambiente e Ação Climática divulgou que nove milhões de pessoas já tinham frequentado as praias nacionais, desde o início da época balnear, agradecendo o esforço de todos no cumprimento das regras sanitárias.

João Pedro Matos Fernandes anteviu que a frequência dos areais vá aumentar, ainda mais, neste mês de agosto, mas acredita que os portugueses "tudo farão para continuar a inibir, nas praias, o contágio da covid-19".

"Desde o início da época balnear, e até à data, já foram às praias em Portugal nove milhões de pessoas. Num só dia chegámos a ter mais de um milhão de pessoas, num conjunto de praias", disse na altura. "Mas o comportamento da maioria, na manutenção dos afastamentos e das regras de segurança, tem sido precioso e de grande rigor. Estamos muito agradecidos ao esforço, que estou certo irá continuar", frisou.

Também a APA fez um balanço “muito positivo” sobre o cumprimento das novas regras de segurança nas praias, no âmbito da pandemia da covid-19, tanto ao nível da implementação, como do “comportamento dos utentes”.

“O balanço é muito positivo, tanto em termos da implementação no terreno das regras definidas, como ao nível do comportamento dos utentes que maioritariamente têm respeitado o distanciamento social e outras normas definidas”, informou a APA, numa resposta escrita enviada à Lusa.

Segundo a instituição, muitas das regras — como é o caso da sinalética de cores, que pode ter diversas formas consoante as praias — foram implementadas pela primeira vez, devido à pandemia da covid-19, mas “os portugueses têm acolhido de forma tranquila e colaborante as recomendações que são feitas pelas autoridades”.

Além disso, destacou o “trabalho conjunto” com autarquias, concessionários, capitanias e forças policiais na adaptação e preparação de cada espaço.

“Portugal tem sido um exemplo a nível europeu e mundial na gestão destes espaços, destacando-se o forte envolvimento e a articulação entre todas as entidades, permitindo que as regras definidas fossem implementadas em tempo útil”, frisou.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.