O deputado do Chega sugeriu, na terça-feira, na sua página no Facebook, a "devolução" da deputada do Livre ao seu país de origem, depois de ser público que Joacine Katar Moreira apresentou uma proposta para a devolução de património existente nos museus portugueses aos países de origem nas antigas colónias de Portugal.

"De acordo com o que nós ouvimos nas opiniões públicas, os vários partidos, da direita até à esquerda, têm condenado estas declarações de André Ventura. Eu espero que essa condenação vá até à conferência de líderes e ali, num espaço em que estão todos representados, em que está o senhor presidente da Assembleia da República também representado, possa existir uma condenação que, por um lado, demonstre uma posição veemente para que isto não se repita no futuro e, por outro lado, coloque um ponto final nesta situação", referiu o líder parlamentar bloquista.

Na terça-feira, na rede social Twitter, Pedro Filipe Soares já tinha anunciado que iria propor ao presidente da Assembleia da República e a todos os parlamentares "uma frontal condenação" por este ato.

Questionado sobre se, caso não se encontre na conferência de líderes de quinta-feira um texto comum, o BE avança com um voto sozinho, o bloquista disse esperar não ser preciso "sequer de ter grande discussão sobre a matéria porque uma posição de condenação em conferência de líderes permite atingir o objetivo político".

"As palavras de André Ventura demonstram um aspeto racista que tem de ser combatido e até xenófobo. A deputada Joacine Katar Moreira não tem menos legitimidade do que qualquer um dos outros deputados", reiterou.

Para Pedro Filipe Soares, "aquilo que aconteceu foi essa tentativa de silenciamento, num ato de clara expressão racista".

"O que se pede é que os democratas se levantem para exigir que não haja este silenciamento na democracia. Deve merecer um repúdio por parte dos democratas e notoriamente na Assembleia da República e é por isso que amanhã, existindo uma conferência de líderes, esperamos que a expressão de repúdio dos diversos grupos parlamentares possa estar em cima da mesa, condenando estas declarações do deputado André Ventura", insistiu.

Os deputados únicos do Chega, André Ventura, Iniciativa Liberal, João Cotrim de Figueiredo, e Livre, Joacine Katar Moreira, foram convocados para a conferência de líderes parlamentares de quinta-feira em que o único ponto em discussão são os agendamentos, uma prática que o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, pretende implementar.

Nas alterações ao regimento da Assembleia da República, aprovadas no final do ano passado, os deputados únicos mantiveram-se sem assento na conferência de líderes, apesar da polémica e de o terem proposto, tendo conseguido aumentar os seus tempos e direitos de intervenção nos debates em plenário.

Contactada pela agência Lusa, fonte oficial do gabinete de Ferro Rodrigues explicou o entendimento de que "sempre que a conferência de líderes se debruçar apenas sobre agendamentos, o presidente da Assembleia da República convoca também os deputados únicos".

(Artigo atualizado às 21:53)

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.