Axl Rose, um dos mais conhecidos vocalistas da música rock pelo seu papel à frente dos Guns N' Roses,  responsável por álbuns como "Appetite for Destruction" e os "Use Your Illusion I e II", entrou em contato com Mnuchin via Twitter.

"É oficial!", escreveu o músico na passada quarta-feira. "O que quer que já se tenha pensado sobre Steve Mnuchin, ele é oficialmente um idiota".

Mnuchin surpreendentemente respondeu ao ataque. "O que você tem feito pelo país ultimamente?", perguntou ao astro do rock, reforçando sua postura patriótica adicionando um emoji de uma bandeira à sua postagem.

No entanto, o graduado em Yale e ex-funcionário da Goldman Sachs não exibiu a bandeira dos Estados Unidos, mas, sim, a da Libéria. A versão usada é semelhante à bandeira americana, mas com menos listras e a diferença mais óbvia: uma estrela em vez de 50.

Após o erro, Rose provocou Mnuchin novamente. "Não sabia que estávamos tentando imitar o modelo econômico da Libéria", escreveu ele antes de ridicularizar o incentivo de Mnuchin para que os americanos tirassem férias no país, apesar da crise do coronavírus.

Esta é segunda vez num curto espaço de tempo que a banda de Los Angeles e a administração de Donald Trump causam reboliço mediático.

No início desta semana, o Presidente dos EUA foi gravado sem proteção individual numa fábrica de máscaras no Arizona enquanto passava ruidosamente de fundo uma versão dos Guns N' Roses de "Live and Let Die" ("Vive e Deixa Morrer"), original dos Wings .

Os Guns N'Roses tinham um concerto marcado para dia 20 no Passeio Marítimo de Algés, em Oeiras, como data inicial da sua digressão europeia, mas foi adiado devido à pandemia por covid-19.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.