"Sugerimos que as esmolas recolhidas em todas as paróquias da diocese, nas eucaristias de Natal, por altura da veneração da imagem do Menino Jesus, sejam canalizadas para as obras de recuperação do templo", refere uma nota de Anacleto Oliveira, hoje enviada à agência Lusa.

No próprio dia do incêndio, que destruiu por completo o templo do século XVII, Anacleto Oliveira tinha apelado à generosidade "de todos", sem sugerir qualquer iniciativa concreta.

Hoje, na nota enviada à Lusa, o bispo refere que as "esmolas" recolhidas durante as missas de Natal, "devem ser entregues diretamente ao pároco ou depositadas na conta da fábrica da igreja paroquial de Lavradas".

À Lusa, fonte do secretariado diocesano de comunicação social de Viana do Castelo anunciou, entretanto, que Anacleto Oliveira vai celebrar missa, no dia de Natal, às 11:30, na sede a Junta de Freguesia e da Associação Lavradas, espaço disponibilizado à paróquia local, na sequência da destruição do templo.

A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar as causas do incêndio que deflagrou na madrugada de segunda-feira.

Com a destruição do templo, as missas vão passar a ser celebradas na sede da Junta de Freguesia e da Associação Lavradas, espaço já disponibilizado à paróquia".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.