De acordo com a agência de notícias Associated Press (AP), esta nova calendarização - a última de sucessivos atrasos no processo de aprovação do avião, que está proibido de voar desde março último, após dois acidentes que provocaram 346 mortos - irá criar mais problemas às companhias aéreas que possuem o 737 MAX.

É que o adiamento poderá empurrar o regresso do avião para a época alta das viagens de verão ou, possivelmente, além dela, assinala a AP.

A Boeing afirmou ainda que Administração Federal de Aviação (FAA, na sigla inglesa) irá decidir quando é que o 737 MAX poderá voar novamente, mas que periodicamente dará às companhias aéreas e fornecedores a melhor estimativa de quando isso poderá suceder.

"Esta estimativa atualizada é divulgada pela nossa experiência com o processo de certificação", disse a empresa, num comunicado citado pela AP.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.