De acordo com o jornal O Globo, uma mulher de 42 anos, internada com covid-19 e em estado grave, morreu ao ser transferida durante o incêndio no Hospital Federal de Bonsucesso, localizado na zona norte do Rio de Janeiro.

Cerca de 200 pacientes foram retirados do primeiro prédio do hospital, que tem capacidade para atender 400 pessoas. Pelo menos 175 foram recolocados em outros pavilhões que não foram afetados pelas chamas e outros 25, em estado grave, foram transferidos para outros hospitais, segundo fontes oficiais citadas pela imprensa.

O incêndio começou na madrugada desta terça-feira num depósito localizado no subsolo do primeiro pavilhão do Hospital Bonsucesso, por motivos ainda desconhecidos pelas autoridades.

Como o fumo se alastrou, a direção optou por esvaziar dois prédios, os pavilhões um e dois, que atendiam pacientes com covid-19, da Unidade de Terapia Intensiva neonatal e da maternidade.

Alguns pacientes foram levados de maca ou em colchões para fora do primeiro prédio atingido pelo fogo e aguardaram numa loja de concertos de carros ao lado do complexo hospitalar até voltarem a ser atendidos.

As chamas foram controladas pouco antes do meio-dia, mas os bombeiros continuavam hoje ao início da tarde no prédio, a verificar possíveis novos focos, a remover os danos e a avaliar se a estrutura foi afetada.

A Secretaria Municipal de Saúde informou que disponibilizou toda a sua rede de postos médicos para receber outros pacientes que precisem ser transferidos.

Dos pacientes transferidos para outros hospitais, quatro foram internados por covid-19, uma vez que este hospital foi nomeado em março passado pelo Ministério da Saúde como unidade de referência no Rio de Janeiro para o tratamento do novo coronavírus.

Outro dos quatro pacientes transferidos foi levado para o centro de convenções Riocentro, onde a prefeitura ‘carioca’ montou um hospital de campanha desde abril para cuidar dos infetados com covid-19 e que já estava em processo de desmontagem.

O Brasil é o país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo, ao contabilizar o segundo número de mortos (quase 5,4 milhões de casos e 157.397 óbitos), depois dos Estados Unidos.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 43,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.