As brigadas de intervenção rápida são constituídas por cerca de 410 profissionais e atuaram em 40 situações, disse à agência Lusa Ana Mendes Godinho, à margem de uma ação de sensibilização do Exército num lar da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras, no distrito de Lisboa.

A ministra frisou que são brigadas de intervenção rápida para responder a surtos quando há incapacidade de resposta [dos lares] por falta de recursos humanos".

Questionada sobre se tem havido reforço dessas equipas em alguns distritos, a ministra da Solidariedade e Segurança Social respondeu que "a avaliação é permanente em função das necessidades e das diferentes situações no país" e é feita em conjunto com a Cruz Vermelha Portuguesa.

As Forças Armadas realizaram até hoje 364 ações de sensibilização dirigidas a funcionários de lares para prevenção e combate à covid-19 e vão percorrer todas as estruturas residenciais para idosos, garantiu hoje em Torres Vedras o ministro da Defesa.

"Houve situações em que não se aplicaram as boas normas de utilização e houve surtos. Portanto, estamos a contribuir para que os riscos sejam conhecidos e que se façam ações precoces para evitar surtos nos lares", frisou o governante.

Trata-se de ações presenciais de sensibilização e demonstração sobre boas práticas relacionadas com cuidados gerais, pessoais e na instituição a adotar, utilização de equipamentos de proteção individual, limpezas e desinfeções e circuitos a implementar, com o objetivo de contribuírem para a segurança de auxiliares, utentes e funcionários.

O ministro explicou que as ações de sensibilização são complementadas com formação "online".

Até hoje, foram realizadas 364 ações de sensibilização nas estruturas residenciais de apoio a idosos, em conjunto com o Ministério da Solidariedade e Segurança Social, de acordo com dados fornecidos à Lusa pelo Ministério da Defesa Nacional.

As ações contam com a participação de especialistas de saúde militar multidisciplinares, desde médicos, enfermeiros e farmacêuticos, estando constituídas cerca de 130 equipas do Exército, cinco da Marinha e quatro da Força Aérea.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 41,3 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.276 pessoas dos 112.440 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.