O vídeo foi partilhado nas redes sociais e dá conta de um grupo de jovens a insultar e a provocar um rapaz, junto à estrada nacional na Arrentela, no Seixal.

Com pouco mais de um minuto, o vídeo começa com uma jovem a dar um murro no ombro do rapaz, vítima que depois tentou seguir caminho, mas foi perseguido pelo grupo de alunas, ouvindo-se alguém a dizer "ele está a chorar" e "isso é bullying".

O grupo de jovens estava junto ao passeio da EN 10-2, em Vale da Romeira, no Seixal, e quando o rapaz tentou fugir atravessou a estrada e acabou por ser atropelado por uma viatura que circulava nesta via, inclusive vê-se e ouve-se no vídeo o estrondo do embate.

Ao SAPO24, "a Polícia de Segurança Pública confirma a veracidade do vídeo captado na passada quinta-feira, na Arrentela", informando ainda que "registou o acidente, tendo já identificado todos os intervenientes nas agressões, em estreita colaboração com a escola".

A PSP refere ainda que já foi dado conhecimento do ocorrido "à CPCJ e ao Ministério Público da área".

De acordo com o Observador, o jovem que sofreu o atropelamento já está em casa e teve apenas ferimentos ligeiros.

Questionada sobre a investigação desta ocorrência, a Procuradoria-Geral da República (PGR) informou que "os factos deram lugar à instauração de inquérito tutelar educativo, que corre termos na Ministério Público do Juízo de Família e Menores do Seixal".

"O inquérito tutelar educativo é de natureza reservada e encontra-se previsto na Lei Tutelar Educativa, quando estão em causa factos qualificados pela lei como crime, praticados por menor entre os 12 e os 16 anos", afirmou a PGR, em resposta escrita à Lusa.

De acordo com o Diário do Distrito, jornal de Setúbal, os jovens são alunos da Escola Básica Dr. António Augusto Louro, na Arrentela, e, após o atropelamento, não prestaram auxílio ao rapaz.

Contactada pela agência Lusa, a diretora do Agrupamento de Escolas Dr. António Augusto Louro, professora Célia Dias, disse que "no dia 20 de maio, tendo a Direção tomado conhecimento do sucedido, deu início ao procedimento disciplinar previsto na lei".

"Até ao momento, a Direção não tinha conhecimento de conflitos entre estes alunos", referiu Célia Dias, numa resposta escrita.

Relativamente à vítima do alegado bullying que motivou o atropelamento na EN 10-2, a diretora indicou que "o aluno acidentado está a frequentar as aulas desde segunda-feira e encontra-se em recuperação".

Neste âmbito, a diretora do Agrupamento de Escolas Dr. António Augusto Louro adiantou que "foi disponibilizado apoio psicológico para os alunos envolvidos".

(Notícia atualizada às 15h19)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.