A Câmara de Coimbra tem ativado um plano de contingência desenhado para as vagas de frio e calor extremo, num trabalho feito em cooperação com as instituições e associações que trabalham no terreno junto da população sem-abrigo, disse à agência Lusa o vereador com o pelouro da ação social, Jorge Alves.

O plano, esclareceu o responsável, foi ativado a partir dos alertas da Autoridade Nacional de Proteção Civil, preconizando um reforço "dos contactos de rua, por forma a que se aparecer uma situação nova ela seja logo detetada".

Nesse âmbito, é também reforçado o "encaminhamento para os centros de acolhimento", sublinhou.

De momento, o concelho tem três centros de acolhimento para a população em situação de sem-abrigo.

Segundo o vereador, os centros de acolhimento não estão, de momento, cheios, referindo que haverá cerca de 30 pessoas em situação de sem-abrigo no concelho de Coimbra.

De acordo com Jorge Alves, há quem não aceite a opção de ir para um centro de acolhimento "por diversas razões".

O vereador salientou que este plano de contingência devido ao frio dá seguimento ao trabalho que é feito ao longo de todo o ano através de instituições e associações da cidade, que asseguram, com o apoio do município, apoio médico, social, alimentação e alojamento.

O tempo frio vai continuar pelo menos até ao final da semana em especial nas regiões do interior norte e centro onde as temperaturas mínimas podem chegar aos seis graus negativos, segundo disse hoje a meteorologista Maria João Frada.

Em declarações à agência Lusa, a meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) adianta que está emitido um aviso amarelo para todos os 18 distritos do continente.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.