"O objetivo é descentralizar competências para estarmos mais próximos dos cidadãos de cada freguesia. Esta medida vai gerar maior eficiência financeira, melhor gestão dos recursos e mais qualidade nos serviços prestados às pessoas", explica, em comunicado, o presidente da Câmara de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto.

O autarca adianta que esta transferência para as juntas de freguesia do orçamento para 2019, no valor de 770 mil euros, representa um aumento de cerca de 50% em comparação com o ano passado.

Os contratos interadministrativos de delegação de competências que foram acordados entre este município do distrito de Castelo Branco e as 13 freguesias do concelho colocam esta autarquia entre as que mais descentralizam no país.

"O investimento financeiro correspondente pretende conceder às freguesias os meios necessários para desempenharem a sua digna missão de proximidade", justifica o autarca.

Os contratos já foram aprovados nas Assembleias de Freguesia e na Assembleia Municipal de Idanha-a-Nova, e a sua operacionalização já está em curso.

"Esta medida acompanha a descentralização administrativa que também o Governo tem promovido, através da transferência de competências para as câmaras municipais, para possibilitar uma intervenção mais eficaz no território e a racionalização dos recursos existentes", sustenta.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.