Contactada pela Lusa depois de uma denúncia do Bloco de Esquerda (BE) relativa à falta de espaço para acolher mais animais, o município esclareceu que "existe um projeto para alargamento da Casa dos Animais de Lisboa, dotando-a de mais espaço de alojamento, recreio e melhoria das condições de alojamento e bem-estar dos animais".

"Contamos que o concurso público para a empreitada possa ser lançado ainda em 2017", acrescenta a informação escrita.

A Câmara conta também reforçar o apoio financeiro às associações envolvidas, encontrando-se ainda a "estudar uma forma de apoiar a União Zoófila com novas instalações, disponibilizando um terreno e apoio financeiro".

Na semana passada, o BE apontou ter recebido "várias queixas relacionadas com a recusa de animais abandonados por parte da Casa dos Animais de Lisboa", advogando que a instituição "não apresentou uma alternativa".

Na resposta enviada à Lusa, a Câmara de maioria socialista explicou que o antigo canil e gatil municipal "tem entrada semanal de animais nas suas instalações, mas não tem adoções ao mesmo ritmo, razão pela qual dispõe de elevada densidade de animais alojados e, atualmente, muito reduzida capacidade de receção de novos animais".

Assim, "pontualmente não consegue alojar, no momento em que é pretendido, todos os animais relativamente aos quais é solicitada para receber".

"Tentamos responder sempre o mais breve possível, tendo em conta o espaço livre disponível. No entanto, não conseguimos garantir a entrada imediata de todos os animais, todos os dias do ano", acrescentou a nota.

A Casa dos Animais está então na "capacidade máxima com cerca de 200 canídeos e 100 felídeos".

Quem encontrar um animal perdido na via pública deverá "alertar as autoridades policiais e administrativas da situação" mas não o recolher, "uma vez que o abandono/maus tratos é crime e deve ser tratado como tal junto das autoridades policiais", esclareceu a autarquia.

A Câmara de Lisboa referiu também que ainda não existem protocolos com outras associações e abrigos no que toca ao alojamento, "uma vez que o excesso de animais é um problema transversal".

"Estamos, no entanto, à procura de parcerias com entidades privadas que disponham de condições para o alojamento temporário de animais que excedam a capacidade de alojamento da Casa dos Animais", rematou a autarquia.

A Casa dos Animais de Lisboa, localizada em Monsanto, foi inaugurada pelo antigo presidente da Câmara, e atual primeiro-ministro, António Costa, em julho de 2014.

Com salas de vacinação, consulta, tratamentos, cirurgias e quarentena, canis individuais e espaço de recreio ao ar livre, o novo canil e gatil do município resultou de uma proposta apresentada no Orçamento Participativo de 2009/2010 e de uma remodelação do antigo espaço.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.