“Vamos alterar as regras em vigor que estão na resolução relativamente ao encerramento das atividades” devido à pandemia de covid-19, afirmou Miguel Albuquerque, em declarações aos jornalistas à margem de uma visita que efetuou à construção de um caminho agrícola no concelho de Câmara de Lobos, contíguo a oeste do Funchal.

O governante adiantou que a decisão será tomada na reunião do Conselho do Governo, que se realiza na quinta-feira, e vai estipular “o encerramento, durante toda a semana, das atividades às 17:00 e recolher obrigatório às 18:00”.

Esta medida “tem em vista a prevenção das festas e convívios de Carnaval”, disse.

No Conselho do Governo Regional de 28 de janeiro foi aprovada uma resolução que prolongou as medidas de confinamento em vigor até 21 de fevereiro, entre as quais o recolher obrigatório e a suspensão das aulas presenciais para os alunos do terceiro ciclo e do ensino secundário.

O recolher obrigatório está estipulado entre as 19:00 e as 05:00 nos dias de semana e das 18:00 às 05:00 aos fins de semana.

As atividades de natureza industrial, comercial e de serviços têm também de respeitar os horários do recolher obrigatório, sendo permitido o funcionamento dos restaurantes até às 22:00 exclusivamente para a confeção de refeições para entrega ao domicílio.

Miguel Albuquerque considerou ser “fundamental que neste momento [Carnaval] não existam convívios nenhuns, que se reduzam os contactos, que não existam festas, nem públicas, nem particulares”, para que seja possível continuar a conter a pandemia de covid-19 na região.

O executivo da Madeira também já cancelou todo o programa de Carnaval e o cartaz turístico.

Apesar destas medidas mais restritivas, o Governo Regional deliberou em 05 de fevereiro manter a tolerância de ponto concedida há décadas aos funcionários da administração pública regional no dia de Carnaval, 16 de fevereiro, ao contrário do que fez o executivo nacional.

Miguel Albuquerque justificou que a tolerância é já uma das “expectativas” da população do arquipélago, nomeadamente no setor da educação e outros setores de atividade, salientando que “as regras de prevenção e contenção da pandemia continuam em vigor”.

“É evidente que as épocas festivas são sempre com propensão natural das pessoas para conviverem mais ao realizarem festas e se juntarem, mas a ideia é prevenir e evitar isso”, acrescentou.

O presidente do governo madeirense também contrariou as notícias que indicam que a região tem o maior índice de transmissibilidade (Rt) do vírus SARS-CoV, segundo revelou o Instituto Nacional Ricardo Jorge.

“Vejam qual a região que testa mais”, realçou.

Miguel Albuquerque referiu que a Madeira podia ter um “Rt baixo”, bastando para tal “fechar tudo, entrar tudo em confinamento, e não manter a economia como está a manter”.

Os últimos dados revelados segunda-feira pela Direção Regional de Saúde indicam que a Madeira registou mais 83 novos casos de covid-19 e uma morte, elevando para 55 o número de óbitos na região devido ao novo coronavírus desde o início da pandemia

Segundo o boletim diário da DRS, desde domingo recuperaram da doença 72 pessoas e estão ativos na região 1.809 casos de infeção.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.