A partir de hoje estará aberta a modalidade de "Casa Aberta" para pessoas com 35 anos ou mais. Ou seja, é possível dirigir-se a um centro de vacinação sem marcação para receber uma vacina contra a covid-19.

A lista de centros de vacinação em modalidade "Casa Aberta", e respetivos horários, pode ser consultada aqui.

Neste momento, todavia, existe uma limitação: A "Casa Aberta" só está disponível para quem tomar a vacina unidose da Janssen, apenas recomendada para indivíduos do sexo masculino com 18 anos ou mais e a mulheres com mais de 50 anos.

À Renascença, o vice-almirante Gouveia e Melo explicou que a situação deve ser regularizada dentro de duas semanas.

"As outras vacinas que nesta fase temos em menor stock estão reservadas só para os agendamentos tradicionais: o agendamento online e o agendamento local", explicou. “Quando houver mais vacinas das outras marcas, nós abriremos a Casa Aberta para essas vacinas. Em princípio, dentro de duas semanas”, sublinha Gouveia e Melo.

A 8 de junho, a DGS atualizou as recomendações de administração da vacina da Janssen para que possam ser administrada "em pessoas do sexo masculino com idade igual ou maior a 18 anos".

Já no caso das pessoas do sexo feminino, mantém-se a recomendação de apenas administrar a pessoas com 50 anos de idade ou mais.

"As pessoas do sexo feminino com menos de 50 anos de idade, que assim o desejem, se devidamente informadas, numa base de ponderação dos benefícios e dos riscos, individualizada, podem ser vacinadas com a vacina COVID-19 Vaccine Janssen, desde que se obtenha o seu consentimento livre e esclarecido", informa ainda a nota.

Portugal continental atingiu a 15 de julho as 10 milhões de vacinas contra a covid-19 administradas, cerca de seis milhões de primeiras doses e outras quatro milhões que completaram a vacinação.

Hoje, a task force recordou ainda que as pessoas que não receberam a segunda dose da vacina da AstraZeneca não necessitam de marcação para a segunda toma, bastando que se dirijam ao respetivo centro no horário específico para esta modalidade de vacinação.

Os utentes que se encontram nesta situação, e que não tenham ainda sido contactados pelos serviços de saúde, podem-se dirigir “proativamente ao mesmo centro de vacinação covid-19 (CVC) onde tomaram a primeira dose” para receber a segunda toma.

Em junho, a Direção-Geral da Saúde (DGS) decidiu reduzir o intervalo da toma da segunda dose da vacina da Astrazeneca de 12 para oito semanas para garantir uma “mais rápida proteção” perante a transmissão de novas “variantes de preocupação” do vírus SARS-CoV-2.

Atualmente, "cerca de 95% da população com mais de 50 anos residente no continente já tem uma dose da vacina administrada e 85% tem a vacinação completa”, adiantou em comunicado o gabinete de Marta Temido na semana passada.

Segundo ministério da Saúde, do total de população adulta residente no continente, 74% já tem uma dose da vacina e 55% tem o esquema vacinal completo.

O plano de vacinação prevê três modalidades em paralelo – por agendamento dos serviços de saúde (autoagendamento disponível para quem tem 23 anos ou mais), de antecipação da segunda dose da vacina da AstraZeneca e de “casa aberta”, sem necessidade de marcação prévia.

(Notícia atualizada às 17h22)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.