Em entrevista ao programa "Hora da Verdade", da Rádio Renascença e do Público, Daniel Sampaio, psiquiatra e membro da Comissão Independente para o Estudo dos Abusos de Menores na Igreja Católica, afirma que foram recolhidos, até agora, "mais de 300 testemunhos" de casos.

"Como o nosso lema diz, nós queremos dar voz ao silêncio. Queremos que as vítimas testemunhem porque o simples facto de testemunhar constitui uma reparação muito importante para a vítima", refere.

Quanto aos testemunhos ouvidos, Daniel Sampaio frisa que "ninguém inventa as histórias" que conta. "São histórias de grande sofrimento e o nosso inquérito está construído com uma consistência interna que qualquer pessoa que tente preencher o inquérito a brincar, nós percebemos. As perguntas têm uma coerência", lembra.

"Além disso, a situação é de tal modo difícil para as pessoas falarem que ninguém inventa os pormenores com que o inquérito é feito. É justamente a validação do testemunho que não tem levantado problemas nenhuns", garante.

Relativamente à ocultação de casos por parte da Igreja, Daniel Sampaio afirma que "evidentemente que houve pessoas ligadas à Igreja que ocultaram, como acontece sempre, porque a ocultação é absolutamente uma característica deste problema".

"As pessoas escondem esse problema. Quando nós dizemos que houve pessoas da Igreja que não validaram as queixas, isso era algo inevitável. Até porque primeiro há uma descrença no que a vítima diz e, depois, porque são acusações muito graves que têm consequência para o alegado abusador", explica.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.