"Em Portugal, a desigualdade é de tal forma grande que uma em cada quatro crianças vive em situação de privação material e situação de pobreza. A média é uma em cada cinco, Portugal tem mais pobreza infantil do que os países com que se compara", disse Catarina Martins durante a visita ao Forte da Bela Vista, bairro que foi pintado pelos moradores com o apoio da Câmara de Setúbal, mas que precisa de outras intervenções.

Referindo-se ao relatório hoje divulgado pela UNICEF (a agência das Nações Unidas para a infância) sobre a situação das crianças nos países desenvolvidos, Catarina Martins congratulou-se com o reconhecimento de que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) chega às crianças portuguesas, mas acrescentou que o documento também coloca Portugal na segunda metade da tabela, o que significa que ainda não conseguiu resolver o problema das desigualdades e a situação de pobreza de muitos menores.

Para a coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), num momento em que se fala de boas notícias para o país - como o crescimento económico -, é preciso que todos compreendam que são necessárias medidas públicas para "combater as desigualdades e a pobreza", ou Portugal continuará a abandonar os mais pobres.

"Os dados sobre a pobreza infantil, os dados sobre a nossa incapacidade de acabar com a fome nas crianças são extraordinariamente importantes", disse Catarina Martins, defendendo que se trata de um problema que exige um conjunto de "medidas públicas".

"Se as crianças são pobres é porque as famílias são pobres e, portanto, as questões do combate à precariedade e da valorização salarial são essenciais, porque vivemos num país com 2,6 milhões de pobres. É um país onde muita gente trabalha e, mesmo assim, não consegue sair da pobreza", afirmou a coordenadora do BE, que visitou o bairro do Forte da Bela Vista acompanhada pela candidata do partido à Câmara de Setúbal nas eleições autárquicas deste ano, Sandra Cunha.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.