A escolha foi tomada pelo conselho de administração da Bienal de Veneza sob recomendação do diretor do festival, Alberto Barbera, e surge dois anos depois de Blanchett ter encabeçado o júri do festival de Cannes.

“Todos os anos olho com expectativa para a seleção de Veneza e todos os anos é surpreendente e distinta. Veneza é um dos festivais mais atmosféricos do mundo — uma celebração do meio provocador e inspirador que é o cinema em todas as suas formas. É um privilégio e um prazer ser presidente do júri deste ano”, afirmou Blanchett, citada em comunicado.

O júri vai atribuir vários galardões no âmbito do festival, desde o Leão de Ouro para o melhor filme ao prémio Marcello Mastroianni para melhor jovem ator ou atriz.

Nascida na Austrália há 50 anos, Cate Blanchett é descrita por Veneza como uma “multipremiada atriz, produtora, humanitária e membro dedicado da comunidade artística”.

Já condecorada no seu país natal, mas também distinguida em França como Chevalier de l’Ordre des Arts et des Lettres, Cate Blanchett recebeu, ao longo da carreira, três prémios britânicos BAFTA, dois Óscares, três Globos de Ouro e múltiplas nomeações.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.