Esta posição foi transmitida pela presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, no final de uma audiência no Palácio de Belém, em Lisboa, com o chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, que desde quarta-feira está a ouvir os partidos com assento parlamentar sobre esta matéria.

“Nós não indicámos nenhuma data preferida, estamos preparados para todos os cenários. Naturalmente, elas são no final de setembro, início de outubro e, portanto, estamos confortáveis com qualquer cenário”, declarou a presidente do CDS-PP aos jornalistas.

Interrogada sobre a conjugação das legislativas com as eleições para o parlamento regional da Madeira, também entre setembro e outubro, Assunção Cristas considerou que “aí o bom senso dita que haja um intervalo mínimo para poder distinguir as duas eleições, que têm um foco muito diferente”.

As eleições para o parlamento regional da Madeira decorrem no período “entre o dia 22 de setembro e o dia 14 de outubro” e as eleições para a Assembleia da República “entre o dia 14 de setembro e o dia 14 de outubro”, segundo a respetiva legislação eleitoral.

Ambos os atos eleitorais são marcados pelo chefe de Estado “com a antecedência mínima de 60 dias ou, em caso de dissolução [dos respetivos parlamentos], com a antecedência mínima de 55 dias” e devem “recair em domingo ou feriado”.

Acompanharam Assunção Cristas nesta reunião com o Presidente da República o líder parlamentar do CDS-PP, Nuno Magalhães, e os dirigentes centristas Nuno Melo, Cecília Meireles e Telmo Correia.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.