Para os manifestantes que se reuniram hoje na emblemática praça madrilena, as medidas impostas pelo executivo espanhol atentam “contra os direitos humanos”, já que “as pessoas saudáveis não deveriam usar máscara”, um ato que consideram “uma autêntica tortura”, cita a agência espanhola.

As críticas atingem as mais altas autoridades, como a Organização Mundial de Saúde, que acusam de ter criado “uma falsa pandemia”.

De acordo com os dados que a polícia espanhola avançou à EFE, a manifestação convocada através das redes sociais terá agregado “entre 2.500 e 3.000” pessoas, sendo que muitas delas não usaram máscara.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.