Os incidentes ocorreram nos dias 17 de abril e 18 de maio, no espaço aéreo da cidade de Urumqi, a capital da região do Xinjiang, no noroeste da China.

No primeiro caso, o avião da Emirates voou a uma "altura errada", enquanto no segundo perdeu temporariamente contacto com os controladores de tráfego aéreo.

As autoridades chinesas anunciaram na quarta-feira que multaram a companhia com sede no Dubai em 29.000 renminbi (3.380 euros).

Não é a primeira vez que a Emirates é punida na China.

Em maio de 2016, a companhia foi proibida de abrir novas rotas ou aumentar a frequência dos voos no país, por um período de seis meses, depois de um avião ter aterrado com pouco combustível.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.