A comitiva portuguesa, que tinha chegado ao local às 09:00 de Lisboa, saiu da central nuclear espanhola num autocarro de matrícula portuguesa, depois de todos os membros que a compõem terem almoçado no interior das instalações.

Delegações de Portugal, Espanha e da União Europeia visitaram hoje a central de Almaraz, no âmbito de um acordo selado entre os dois países com o patrocínio da Comissão Europeia.

O Movimento Ibérico Antinuclear (MIA) disse hoje que a visita de delegações de Portugal e da União Europeia a Almaraz é apenas de “cortesia” e só vai evitar uma inspeção profunda.

A associação ambientalista ZERO lamentou a ausência de especialistas de Organizações Não-Governamentais (ONG) na visita.

Na sexta-feira, fonte do Ministério do Ambiente disse à Lusa que a delegação de Portugal teria 16 elementos e inclui técnicos do Ambiente, da Saúde e dos Negócios Estrangeiros.

A comitiva foi liderada pelo presidente da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), Nuno Lacasta, e incluiu também três peritos externos, da Ordem dos Engenheiros e da Universidade de Coimbra, nas áreas da energia nuclear, da avaliação de impactos ambientais e da hidrogeologia.

Os restantes especialistas presentes na visita à central, iniciativa que teve também a presença de representantes da Comissão Europeia, são de entidades públicas, de áreas dos recursos hídricos, energia nuclear e avaliação de impactos ambientais.

Além dos técnicos da APA, dos ministérios do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros, a delegação portuguesa que visitou a central, localizada a 100 quilómetros da fronteira portuguesa, teve representantes da Direção Geral de Saúde.

A fonte do Ministério liderado por João Matos Fernandes tinha já anunciado na sexta-feira que, da parte de Portugal, não haveria qualquer declaração à comunicação social.

Espanha decidiu construir um armazém para resíduos radioativos na central nuclear de Almaraz, que usa o rio Tejo para refrigeração, e Portugal apresentou uma queixa à Comissão Europeia por não ter conhecimento de qualquer estudo de impacto ambiental transfronteiriço daquela estrutura.

A Comissão Europeia anunciou na terça-feira que os governos de Portugal e Espanha alcançaram uma “resolução amigável” para o litígio em torno da central nuclear de Almaraz, com Lisboa a retirar a queixa apresentada a Bruxelas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.