Gás natural

Os preços do gás natural no mercado regulado vão subir 3,3% a partir de hoje, representando aumentos médios nas faturas dos clientes domésticos entre 33 e 70 cêntimos, conforme tinha anunciado a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

A partir de hoje, a fatura do gás natural de um casal sem filhos com consumo anual de 138 m3 (metros cúbicos), no mercado regulado, aumenta 33 cêntimos, sendo que para um casal com dois filhos (consumo anual de 292 m3) o aumento médio ronda os 70 cêntimos.

A ERSE anunciou também que em 01 de outubro irá registar-se um aumento de 8,2% para o ano 2022-2023, face ao ano anterior (2021-2022), ressalvando que "tendo presente as atualizações da tarifa de energia ao longo de 2022, os consumidores em mercado regulado irão observar em outubro de 2022 um aumento médio de 3,9% face ao mês anterior".

Estas atualizações dizem respeito às tarifas de venda ao segmento doméstico (consumos inferiores ou iguais a 10.000 m3/ano) que ainda estão no mercado regulado.

Assim, em outubro, no caso da fatura de um casal sem filhos com consumo anual de 138 m3 haverá um acréscimo de 48 cêntimos e, no caso de um casal com dois filhos (consumo anual de 292 m3) o aumento médio será de 87 cêntimos, face a setembro, segundo o regulador do setor.

Eletricidade

O preço da eletricidade desce hoje 2,6% no mercado regulado, depois de a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) ter aprovado, em junho, esta redução.

"Para os consumidores que permaneçam no mercado regulado (921 mil clientes que representam 6% do consumo total) ou que, estando no mercado livre, tenham optado por tarifa equiparada, a variação das tarifas de Venda a Clientes Finais em Baixa Tensão Normal (BTN) proposta corresponde a uma redução” de 2,6%, “face aos valores atualmente em vigor", foi referido na altura.

Por outro lado, "face ao preço médio de 2021, os consumidores observam em 2022 um acréscimo de 1,1% no preço de venda final (os preços em 2022 integram a decisão tarifária de janeiro de 2022, a revisão trimestral ocorrida em 01 de abril de 2022 e os preços a vigorarem a partir de 01 de julho de 2022)".

De acordo com o regulador, os consumidores domésticos de eletricidade observam assim, em cinco anos, uma redução acumulada de 3,7% no preço final.

Por sua vez, "os consumidores com tarifa social continuam a beneficiar de um desconto de 33,8% sobre as tarifas de venda a clientes finais".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.