“Um cata-vento tem uma grande vantagem sobre o dr. Rui Rio: é que um cata-vento ao menos tem pontos cardeais, o dr. Rui Rio não tem”, afirmou o líder socialista e primeiro-ministro em entrevista ao DN, JN e TSF, publicada hoje na revista Notícias Magazine.

A propósito da possibilidade de existir um acordo na justiça entre os dois maiores partidos, o secretário-geral do PS faz duras críticas ao líder social-democrata, afirmando que “desistiu de disputar o centro com o PS e a única coisa que agora quer disputar é ali 2 ou 3% dos votos com o Chega”, tendo feito um acordo nos Açores e “já importou uma senhora para candidata à Câmara da Amadora”, Suzana Garcia.

E, ainda no capítulo da justiça, Costa acusou Rio de “meter os princípios na gaveta” no processo de Tancos, que envolve o ex-ministro da Defesa Azeredo Lopes, ao fazer “julgamento de tabacaria” durante uma campanha eleitoral porque “dava-lhe jeito para ganhar votos”.

“Os princípios não se metem na gaveta, praticam-se mesmo quando são difíceis”, afirmou.

Ainda segundo o líder do PS, Rio “apareceu na liderança do PSD como querendo disputar o centro ao PS e agora já está naquela fase de disputar a direita ao Chega”.

“E muito mais perigoso do que o Chega é a contaminação do PSD pelas ideias do Chega. E essa contaminação surge quer no estilo de intervenção política, quer no conjunto de propostas que apresenta, quer nesta incoerência onde se diz tudo o que é popular”, acrescentou.

Outro perigo que identificou “nestes partidos de extrema-direita, é que vão-se infiltrando, não é organicamente, mas vão condicionando politicamente os partidos da direita democrática”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.