"Terá início este sábado o processo de vacinação dos elementos das Forças de Segurança, com a vacinação de 10 mil militares da Guarda Nacional Republicana (GNR) e de 10 mil agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP) ao longo das próximas 3 semanas", informa o Ministério da Administração Interna (MAI) num comunicado enviado às redações.

De acordo com o MAI, o planeamento, coordenado pelo executivo, foi elaborado de forma articulada entre a GNR e a PSP e vai ser dada primazia a elementos das forças de segurança seguindo "critérios operacionais – priorizando militares e agentes na linha da frente e mais expostos aos riscos do Coronavírus – e também critérios de saúde – com prioridade a elementos que sofrem das comorbilidades/patologias listadas pela Direção-Geral da Saúde".

Na região de Lisboa e Vale do Tejo, as vacinas vão ser administradas num centro de vacinação conjunto para os guardas e polícias desta área, tendo sido montado nas  instalações do Quartel de Conde de Lippe, na Ajuda. O centro contará "com seis elementos do Centro Clínico da GNR e três elementos da Cruz Vermelha Portuguesa por cada turno de vacinação".

"Já a vacinação dos militares e agentes das outras regiões do país será efetuada nos centros de saúde", refere a nota.

Na PSP, serão os Comandos Metropolitanos de Lisboa e do Porto a vacinar um maior número de agentes, com 3.815 incluídos no plano em Lisboa e mais de 1.600 no Porto.

Já na GNR serão os comandos do Porto, Lisboa, Aveiro e Setúbal a vacinar um maior número de militares, sendo o comando do Porto o que mais guardas vacina nesta fase (1.086).

[Notícia atualizada às 22:22]

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.