Em comunicado, a autarquia adianta que as pessoas que quiserem aceder aos serviços da autarquia “terão a temperatura corporal medida, sendo-lhes negado o acesso às instalações caso o registo seja superior a 37,5 graus centígrados.

Paralelamente, à semelhança de outros equipamentos e espaços públicos, o uso de máscara passa a ser obrigatório, sendo privilegiado, sempre que possível, o contacto telefónico ou eletrónico com os serviços municipais.

Caso o contacto “tenha de ser necessariamente presencial, só será realizado com marcação prévia e em espaços que deverão ter uma barreira física (acrílico ou vidro), por forma a garantir o distanciamento e proteção dos envolvidos”, prossegue a nota.

Será ainda limitada, no interior das instalações, a circulação de pessoas (trabalhadores, clientes, fornecedores ou visitantes) e o número de utentes ou visitantes na receção ou área de atendimento, de forma a manter o distanciamento mínimo de dois metros entre si.

As áreas de trabalho serão também reorganizadas para garantir a mesma distância mínima entre trabalhadores, refere a autarquia, acrescentando que, nesta fase, o teletrabalho será também mantido para vários trabalhadores.

“Em linha com o plano de contingência ativado pelo município, mantêm-se preparadas áreas de isolamento para eventuais casos suspeitos ou confirmados de covid-19”, acrescenta o município.

Os trabalhadores da autarquia foram ainda sensibilizados para um conjunto de regras de prevenção, devendo, ainda “ser evitada a partilha de objetos ou equipamentos de trabalho e o trabalho em grupo (reuniões de trabalho à porta fechada)”.

Todas as áreas de trabalho “vão ser alvo de limpeza e higienização profunda, de acordo com as recomendações da Autoridade de Saúde, com particular atenção para as áreas comuns, de atendimento e com maior frequência de utilização”.

Todas as medidas estarão em constante monitorização e poderão vir a ser revistas, mediante novas orientações que venham a ser definidas pela Autoridade de Saúde, conclui.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou perto de 312 mil mortos e infetou mais de 4,6 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 1,6 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.218 pessoas das 29.036 confirmadas como infetadas, e há 4.636 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.