O ministro Aaron Motsoaledi disse, em conferência de imprensa conjunta com outros membros do executivo sul-africano, que a restrição se aplica somente a "viagens de turismo", estando autorizadas viagens de negócios.

"Visitantes em turismo provenientes do Brasil não serão também permitidos a entrar no país", referiu Motsoaledi.

O ministro do Interior sul-africano sublinhou que os vistos que expiraram durante o confinamento da covid-19 serão considerados válidos até 31 de janeiro de 2021.

As medidas de restrição serão revistas a cada duas semanas, foi anunciado.

Na lista de 40 países enumerados como sendo de "alto risco" por Pretória contam-se também a Rússia, Suíça, Reino Unido, Holanda, Qatar, Estados Unidos da América, França, Índia, Israel e Venezuela.

As autoridades sul-africanas consideraram a China como país de "baixo risco" devido ao "declínio do número de infeções" de covid-19.

Anteriormente, a ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Naledi Pandor, referiu que os turistas de países de alto risco - definidos como sendo aqueles com taxas de infeção ou mortalidade mais altas do que a África do Sul - seriam proibidos de entrar no país.

"À chegada ao país, os visitantes devem apresentar um teste ‘PCR' de covid-19, certificado por uma autoridade médica do país de embarque com menos de 72 horas", salientou.

A governante sul-africana disse ainda que "será também obrigatório apresentar um seguro de viagem que salvaguarde a realização do teste de covid-19 à chegada, assim como os custos de quarentena, caso necessário".

A chefe da diplomacia sul-africana precisou que "todos os visitantes do continente africano serão autorizados a entrar na África do Sul, desde que apresentem um teste de covid-19 negativo".

Apenas turistas de países considerados pelas autoridades sul-africanas como sendo de ‘médio risco' e ‘baixo risco' de covid-19 serão autorizados a entrar na África do Sul a partir de 01 de outubro, foi anunciado. Todavia, as autoridades não divulgaram a lista desses países.

Três aeroportos internacionais – OR Tambo, em Joanesburgo, King Shaka International, em Durban, e Cape Town International, Cidade do Cabo –, foram identificados como sendo "os únicos portos de entrada autorizados" no país para visitantes estrangeiros.

A África do Sul anunciou hoje 903 novos casos de covid-19 elevando para 672.572 o número de total de infeções no país.

A doença pandémica respiratória, que é provocada pelo novo coronavírus, já causou 16.667 mortos desde 27 de março, segundo as autoridades da saúde sul-africanas.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.