O número de mortes associadas à covid-19 entre 25 de janeiro e 7 de fevereiro tinha-se situado acima dos 40% do total de óbitos, mas nas duas semanas seguintes foi descendo até se situar nos 21,7% do total na semana de 15 a 21 de fevereiro, em que morreram 2.824 pessoas, mais 696 do que a média para o mesmo período nos últimos cinco anos.

Entre 8 e 14 de fevereiro, morreram 3.349 pessoas, 31,6% das quais com covid-19, mais 175 do que a média para essa semana nos anos de 2015 a 2019.

Das 6.173 pessoas que morreram entre 08 e 21 de fevereiro, 74,3% tinham 75 anos ou mais e o maior aumento de mortalidade (21,6% em relação à média para o mesmo período dos últimos cinco anos) aconteceu entre as pessoas com 90 anos ou mais.

A maior parte das mortes concentrou-se nas regiões da Área Metropolitana de Lisboa (29,5%), Norte (27,6% do total) e Centro (25,3%).

Comparando com os outros países europeus, Portugal foi o que apresentou mais excesso de mortalidade entre 11 e 24 de janeiro.

A semana de 18 a 24 de janeiro foi a pior neste aspeto, com mais 80% de mortes do que a média para o mesmo período de 2015 a 2019.

A percentagem de mortes a acontecer em hospital foi praticamente a mesma (65,3%), apenas mais uma décima percentual que na quinzena anterior.

[Notícia atualizada às 12:36]

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.