“É verdade que o mercado dos equipamentos individuais de proteção está um bocado saturado, mas estamos com processos aquisitivos e hoje mesmo estou em condições de dizer que teremos 10 mil máscaras para iniciar a distribuição”, disse o diretor nacional da PSP.

Manuel Magina da Silva falava à Lusa à margem da cerimónia de tomada de posse da nova comandante do Comando Distrital de Aveiro da PSP, a superintendente Virgínia Lúcia Regateiro da Cruz.

Questionado sobre a falta de meios de prevenção ou para lidar com casos suspeitos ou confirmados de Covid-19, o diretor nacional da PSP disse que, até ao final da semana, serão distribuídos pelo dispositivo “equipamentos de proteção individual acompanhados por instruções de utilização”.

O responsável esclareceu que as máscaras serão distribuídas pelas viaturas e pelos comandos e haverá instruções muito concretas sobre os casos em que devem ser usadas.

“Não pretendemos uma utilização maciça indiscriminada de equipamentos de proteção, porque, além de contrariar as indicações das Direção Geral da Saúde, iria contribuir para algum pânico que as instituições como a nossa têm a responsabilidade de não contribuir”, vincou.

Na semana passada, o Sindicato Nacional da Polícia lamentou que os profissionais da PSP não tenham ainda normas orientadoras no procedimento contra o novo coronavírus e denunciou que “não existem em quantidade suficiente” equipamentos de autodefesa.

“Lamentamos que até ao momento não exista ampla divulgação de normas orientadoras, para lidar com este tipo de coronavírus, assim como não existem em quantidade suficiente equipamentos de autoproteção”, escreveu o Sinapol em comunicado.

A estrutura sindical lamentou igualmente “a inexistência de medidas para mitigação de eventuais consequências de contágio”, sublinhando que “os polícias não têm qualquer informação sobre como atuar numa situação em que o vírus esteja em fase propagação”.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.000 mortos. Cerca de 114 mil pessoas foram infetadas em mais de uma centena de países, e mais de 63 mil recuperaram.

Portugal regista 41 casos confirmados de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com o boletim sobre a situação epidemiológica em Portugal, divulgado hoje, há 375 casos suspeitos, dos quais 83 aguardam resultado laboratorial.

Segundo a DGS, há ainda 667 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.