A empresa anglo-sueca anunciou que recebeu mais de mil milhões de dólares da Autoridade norte-americana de Pesquisa Avançada e Desenvolvimento Biomédico para o desenvolvimento, produção e distribuição da vacina, a partir do outono.

O investimento vai acelerar o desenvolvimento e a produção da vacina, disse o diretor executivo da AstraZeneca, Pascal Soriot.

“Faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para ter esta vacina rapidamente disponível”, acrescentou.

As empresas farmacêuticas, incluindo também a Moderna e a Sanofi, estão na corrida ao desenvolvimento e produção da vacina contra o novo coronavírus, cujos peritos dizem ser crucial para permitir aos países abrandar o confinamento e as restrições à vida pública.

Num comunicado quando da abertura dos mercados, a AstraZeneca afirmou que está agora a assegurada a capacidade de produção para mil milhões de doses e espera conseguir novos acordos para expandir a capacidade ao longo dos próximos meses, no sentido de “garantir a distribuição global da vacina”.

A empresa finalizou também o acordo de licença com a Universidade de Oxford para a vacina, conhecida como AZD1222.

A vacina foi desenvolvida pelo Instituto Jenner da Universidade de Oxford, em colaboração com o Grupo de Vacina de Oxford.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 328.000 mortos e infetou mais de cinco milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 1,8 milhões de doentes foram considerados curados.

Portugal regista hoje 1.277 mortes relacionadas com a covid-19, mais 14 do que na quarta-feira, e 29.912 infetados, mais 252, segundo o boletim epidemiológico divulgado hoje pela Direção-Geral da Saúde.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.