Segundo noticia a agência AFP, a empresa anunciou através de um comunicado que 30 mil pessoas vão participar nesta fase decisiva do ensaio clínico nos Estados Unidos.

Metade dos participantes vão receber uma dose de 100 microgramas e as restantes uma dose placebo.

O objetivo principal deste estudo é prevenir quaisquer sintomas da covid-19 e o objetivo secundário é a prevenção da infeção pelo novo coronavírus.

Este estudo deve durar até 27 de outubro.

O anúncio coloca a empresa de biotecnologia Moderna na vanguarda da corrida global por uma vacina contra a doença que já infetou mais de 13,2 milhões de pessoas em todo o mundo e matou mais de 574.000 pessoas.

Os cientistas alertam, no entanto, que as primeiras vacinas a chegar ao mercado não são necessariamente as mais eficazes ou as mais seguras.

A tecnologia explorada pela Moderna, baseada em ARN-mensageiro - um sistema que transporta o código genético do ADN às células -, procura fornecer ao corpo as informações genéticas necessárias para o proteger preventivamente contra o novo coronavírus.

A empresa de biotecnologia recebeu 483 milhões de dólares (426 milhões de euros) do Governo dos EUA.

Em 18 de maio, a Moderna anunciou os primeiros resultados “encorajadores” após um teste com um pequeno número de voluntários (oito), referente à primeira fase. A segunda fase, que conta com 600 voluntários, começou no final de maio.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.