De acordo com Vana Papaevangelu, membro do comité de epidemiologistas que aconselha o Governo grego na gestão da pandemia, esta decisão acrescenta a americana Novavax, a russa Sputnik e as chinesas Sinovac Biotech, Sinopharm e CanSino Biologics às vacinas contra a covid-19 já aceites.

Esta medida, tomada por recomendação do comité de peritos, permite a entrada destes turistas tanto por via marítima, como aérea ou terrestre.

Quem quiser viajar para a Grécia terá de apresentar um certificado digital de vacinação ou, se não tiver sido vacinado, um teste PCR negativo realizado nas 72 horas anteriores à viagem, se for maior de 6 anos.

Além disso, deve preencher um documento de localização do viajante e poderá ser submetido a um teste aleatório nos aeroportos.

O Governo grego continua a insistir com a população para ser vacinada, tendo começado a vacinar os jovens com cerca de 20 anos.

Até o momento, foram realizadas 6.665.626 vacinações no país. Cerca de 41% da população recebeu pelo menos uma das doses, enquanto cerca de 26% já estão totalmente inoculados.

Desde hoje o Governo está a relaxar ainda mais as medidas para lidar com a pandemia, reduzindo o recolher obrigatório, que está agora em vigor entre as 01:30 e as 05:00, e que deverá ser completamente levantado em 01 de julho.

A situação epidemiológica do país está a evoluir positivamente, com a redução constante de infeções, óbitos e internamentos em unidades de terapia intensiva.

Desde o início da pandemia, a Grécia registou 413.954 infeções e 12.381 mortes por covid-19.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.