Segundo os dados recolhidos pela agência de notícias francesa, já morreram pelo menos 328.220 pessoas e há mais de 5.012.630 infetados em 196 países e territórios desde o início da epidemia, em dezembro de 2019 na cidade chinesa de Wuhan.

A AFP alerta que o número de casos diagnosticados reflete apenas uma fração do total real de infeções, já que um grande número de países está a testar apenas os casos que requerem tratamento hospitalar. Entre esses casos, pelo menos 1.854.900 foram considerados curados.

Os Estados Unidos, que registaram a primeira morte ligada à covid-19 no início de fevereiro, são o país mais afetado em termos de número de mortes e casos, com 93.439 óbitos em 1.551.853 casos.

Pelo menos 294.312 pessoas foram declaradas curadas pelas autoridades norte-americanas.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Reino Unido, com 35.704 mortes para 248.293 casos, Itália com 32.330 mortes (227.364 casos), França com 28.132 mortes (181.575 casos) e Espanha com 27.888 mortos (232.555 casos).

A China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau), onde a epidemia começou no final de dezembro, contabilizou 82.967 casos (dois novos entre quarta-feira e hoje), incluindo 4.634 mortes (nenhuma nova) e 78.249 curados.

A Europa totalizou 169.932 mortes para 1.955.600 casos, Estados Unidos e Canadá 99.575 mortes (1.631.995 casos), América Latina e Caraíbas 33.945 mortes (612.891 casos), Ásia 13.158 mortes (399.080 casos), Médio Oriente 8.486 mortes (309.107 casos), África 2.996 mortes (95.533 casos) e Oceânia 128 mortes (8.426 casos).

Esta avaliação foi realizada com dados recolhidos pela AFP junto de autoridades de saúde e informações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Portugal, com 1.277 mortes registadas e 29.912 casos confirmados é o 23.º país do mundo com mais óbitos e o 26.º em número de infeções.

(Artigo atualizado às 13:54)

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.