De acordo com o boletim epidemiológico diário da DGS, há 46.221 casos confirmados e o número de mortes provocadas pela covid-19 atinge os 1.654.

Os números totais foram hoje revistos, como já tinha anunciado a DGS, tendo sido incluído nos dados epidemiológicos duas centenas de casos que ainda não tinham sido registados.

Segundo a informação enviada hoje pela DGS, os casos em falta "foram atribuídos nos relatórios referentes a 30 de junho, 1, 2 e 3 de julho (inclusive)", acrescentando que "face ao efeito no acumulado, foram revistos todos os relatórios até ao dia de hoje".

Nas últimas 24 horas foram registados mais 342 casos. O acréscimo deve-se, em grande parte, à Região de Lisboa e Vale do Tejo que regista mais 259 casos face ao dia anterior.

Todos os mortos das últimas 24 horas se verificaram na região de Lisboa e Vale do Tejo, enquanto o número de casos nesta região aumentou para 22.385, mais 2,1% que na sexta-feira.

Os novos casos na região de Lisboa e Vale do Tejo representam 75,7% do total de novos casos no país inteiro.

De acordo com o boletim de hoje, há 459 pessoas internadas, menos 12 do que ontem. Destes casos de internamento, há 68 em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI), mais duas pessoas do que esta sexta-feira.

O boletim de hoje continua sem incluir os números mais atuais relativamente à distribuição geográfica por concelho. Essa atualização só deverá ocorrer no dia 14 de julho.

Na região Norte há hoje 18.068 casos (mais 67), seguindo-se a região Centro com 4.255 (mais um), Algarve com 695 casos (mais sete) e Alentejo com 570 casos (mais oito).

Os Açores continuam com 153 casos e a Madeira com 95.

Os números relativos aos concelhos continuam sem alteração, porque a DGS está a verificar "todos os dados com as autoridades locais e regionais de saúde" e espera ter esta tarefa "concluída nos próximos dias".

Na última atualização dos dados por concelho, onze tinham mais de mil casos, com Lisboa (3.645), Sintra (2.850) e Loures (1.910) à cabeça.

A região com mais mortes continua a ser o Norte (821), seguida de Lisboa e Vale do Tejo (535), Centro (250), Alentejo (18), Algarve e Açores (15 cada uma).

Por faixas etárias, o maior número de óbitos concentra-se nas pessoas com mais de 80 anos (1.108, mais quatro que na sexta-feira), seguidas das que tinham entre 70 e 79 anos (318, mais três) e entre os 60 e 69 anos (149, mais uma). Há 55 óbitos entre os 50 e 59 anos, 20 entre os 40 e 49, dois entre os 30 e os 39 e outros dois entre os 20 e os 29 anos.

As autoridades de saúde mantêm sob vigilância 34.082 contactos de pessoas infetadas – mais 221 do que na sexta-feira - e há 1.705 pessoas que aguardam resultados laboratoriais.

O número de doentes dados como recuperados aumentou de 30.350 para 30.655, mais 305 do que na sexta-feira.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.