“Ainda não recebemos nenhuma confirmação, mas estamos na expectativa para a possibilidade de reabertura da fronteira no concelho”, realçou à agência Lusa o autarca de Montalegre, no distrito de Vila Real, Orlando Alves.

O ministro da Administração Interna admitiu na sexta-feira que as fronteiras de Montalegre (Vila Real) e de Barrancos (Beja) possam reabrir, antes de 15 de junho, durante "algumas horas", para passagem de trabalhadores entre Portugal e Espanha.

"Nós estamos a ponderar questões muito locais, com algumas horas, fundamentalmente para circulação de trabalhadores. Temos em ponderação, já o disse, dois pontos. Um em Montalegre e outro em Barrancos, que são aqueles locais que estão mais longe de locais em que a passagem é autorizada e em que ponderamos que ela exista durante algumas horas do dia, não com o caráter permanente como nestes nove postos principais", disse Eduardo Cabrita.

O controlo das fronteiras terrestres com Espanha está a ser feito desde as 23:00 do dia 16 de março em nove pontos de passagem autorizada, devido à pandemia da covid-19.

Segundo o autarca de Montalegre, no concelho há “constrangimentos” para vários trabalhadores que exercem a sua profissão em Espanha.

“Temos, por exemplo, a situação da passagem para Baltar [localidade espanhola perto da fronteira com Sendim, no concelho de Montalegre] onde muitos jovens do concelho trabalham em fábricas em Espanha”, explicou.

Orlando Alves realçou ainda os mesmos constrangimentos sentidos na localidade portuguesa de Tourém, que faz fronteira com a localidade espanhola de Randin.

“Há muitos agricultores com terrenos alugados em Espanha para a produção de feno e engorda do gado e que não estão a conseguir transitar para tratar das suas produções”, vincou.

De Sendim, na freguesia de Padornelos, até ao ponto de passagem autorizada, em Vila Verde da Raia, no concelho de Chaves, é necessário percorrer cerca de 50 quilómetros por estradas portuguesas.

Já da freguesia de Tourém a Vila Verde da Raia, por estradas portuguesas, percorrem-se cerca de 70 quilómetros.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou quase 345 mil mortos e infetou mais de 5,4 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 2,1 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.330 pessoas das 30.788 confirmadas como infetadas, e há 17.822 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.