De acordo com o boletim epidemiológico diário, o total de óbitos por covid-19 desde o início da pandemia é agora de 1.631 e o total de casos confirmados é de 44.859.

De acordo com o boletim de hoje, há 512 pessoas internadas, mais um caso do que ontem. Destes casos de internamento, há 74 em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI), menos duas pessoas do que esta terça-feira.

O boletim desta quarta-feira continua sem incluir os números mais atuais relativamente à distribuição geográfica por concelho.

O boletim ao detalhe

Em termos percentuais, o aumento do número de óbitos foi de 0,12% (passou de 1.629 para 1.631) e o aumento do número de infetados foi de 0,99% (de 44.416 para 44.859).

Lisboa e Vale do Tejo registou um morto nas últimas 24 horas (514 ao todo) e a região do Alentejo outro morto, passando a 18 óbitos no total.

A DGS regista mais um internamento nas últimas 24 horas, que passaram de um total de 511 para 512, mas há menos duas pessoas nos cuidados intensivos, sendo agora 74.

Lisboa e Vale do Tejo, com 21.256 infetados, permanece como a região onde se regista o maior número de novos casos, 327 nas últimas 24 horas.

O boletim volta a referir que cerca de 200 casos continuam ainda por incluir no total na Região de Lisboa e Vale do Tejo, referentes a testes realizados por um laboratório privado que em três dias da semana passada não os registou no sistema para o efeito, estando a sua distribuição ainda a ser analisada pelas autoridades de saúde.

Depois de Lisboa e Vale do Tejo surge a Região Norte (17.900 casos), a Região Centro (4.232), o Algarve (com 663 casos) e o Alentejo (551). Os Açores têm 149 infetados e a Madeira 95 infetados.

Há no país 11 concelhos com mais de 1.000 casos de doentes infetados, uma lista liderada por Lisboa (3.645), seguida de Sintra (2.850) e de Loures (1.910).

Os números relativos aos concelhos não sofreram alterações esta semana (em relação a segunda-feira), uma situação explicada no boletim de hoje que indica que ainda não foi feita a atualização, porque a DGS está a verificar "todos os dados com as autoridades locais e regionais de saúde" e espera ter esta tarefa "concluída nos próximos doas".

Também no boletim de hoje não é apresentado o quadro das idades relativo aos infetados, uma situação que a DGS atribui a erro informático.

Quanto aos óbitos, a região com maior número continua a ser o Norte (821, o mesmo número de terça-feira), seguida de Lisboa e Vale do Tejo (514, mais um morto do que na terça-feira), da região Centro (248, o mesmo valor de terça-feira), do Alentejo (18, mais um morto do que na terça-feira) e do Algarve e Açores, com os mesmos 15 mortos cada em relação a terça-feira.

Por faixas etárias, o maior número de óbitos concentra-se nas pessoas com mais de 80 anos (1.090), seguidas das que tinham entre 70 e 79 anos (315) e entre os 60 e 69 anos (148). Há 54 óbitos entre os 50 e 59 anos, 20 entre os 40 e 49, dois entre os 30 e os 39 e outros dois entre os 20 e os 29 anos.

As autoridades de saúde mantêm sob vigilância 33.225 contactos de pessoas infetadas - mais 91 do que na terça-feira - e há 1.496 pessoas que aguardam resultados laboratoriais.

O número de doentes dados como recuperados também registou um aumento, havendo hoje mais 269 pessoas recuperadas, registando-se agora um total de 29.714 casos nessa situação.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.