O presidente do município, Jorge Vala, disse hoje à agência Lusa que quando for ativado o Plano Municipal de Emergência e forem constituídas as equipas dos bombeiros e dos militares da GNR, escaladas em permanência, a autarquia irá fornecer-lhes as refeições em regime de 'take away', à semelhança do que já sucede com os alunos dos escalões A e B e das pessoas mais carenciadas.

"Após a análise da atual situação da pandemia foi aprovado o Plano Operacional Municipal, que será ativado assim que seja detetado um caso de covid-19 em residentes do concelho. No caso de ativado o Plano Municipal de Emergência, o município irá fornecer as refeições aos bombeiros e GNR, de segunda a sexta-feira, uma vez que os restaurantes estão todos fechados", explicou.

O autarca salientou que a Câmara já está a fornecer as refeições aos alunos dos escalões A e B, que o solicitam, através das instituições particulares de solidariedade social (IPSS), e às famílias carenciadas.

"Alguns vão buscá-las às IPSS e no caso de pessoas mais idosas ou com mobilidade reduzida a refeição é-lhes entregue em casa pelas IPSS ou juntas de freguesia. Neste âmbito, adicionámos os três corpos de bombeiros e a GNR", adiantou Jorge Vala.

O Município de Porto de Mós tem disponível o número 800 210 102, uma linha que pretende responder às dúvidas e necessidades dos cidadãos.

Até às 15:00, o presidente da Câmara não tinha informação de qualquer infetado no concelho, mas advertiu que há casos suspeitos que estão a aguardar os resultados das análises.

Jorge Vala afiançou que assim que houver confirmação de um caso positivo dará a conhecer à comunidade, com toda a informação importante, de modo a "tranquilizar os cidadãos e evitar boatos".

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o número de casos confirmados de infeção para 1.020, mais 235 do que na quinta-feira.

O número de mortos no país subiu para seis.

Dos casos confirmados, 894 estão a recuperar em casa e 126 estão internados, 26 dos quais em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI).

O boletim divulgado pela DGS assinalava 7.732 casos suspeitos até quinta-feira, dos quais 850 aguardavam resultado laboratorial.

Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira, depois de a Assembleia da República ter aprovado na quarta-feira o decreto que lhe foi submetido pelo Presidente da República, com o objetivo de combater a pandemia de Covid-19, após a proposta ter recebido pareceres favoráveis do Conselho de Estado e do Governo.

O estado de emergência proposto pelo Presidente prolonga-se até às 23:59 de 02 de abril.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.