Fonte do município disse à Lusa que já estão "reservadas" duas unidades hoteleiras de turismo de habitação, prontas para acolher aqueles profissionais que o solicitem.

"São vários quartos em duas unidades hoteleiras em pontos diferentes do concelho, devidamente desinfetadas e disponíveis para alojar todos aqueles que estão no terreno no combate à pandemia", acrescentou.

O alojamento destina-se a profissionais de saúde e agentes da Proteção Civil, designadamente bombeiros, GNR e Cruz Vermelha, que tenham residência na Póvoa de Lanhoso e/ou que prestem serviços no concelho no âmbito do combate à Covid-19.

As solicitações devem ser feitas para a Proteção Civil municipal, pelo número 968201194.

O objetivo é disponibilizar alojamento de retaguarda para apoio àqueles profissionais e operacionais que não queiram ou não possam regressar a casa, face ao risco de contágio a familiares.

Paralelamente, o município já disponibilizou ao Centro de Saúde módulos de exterior que permitam criar uma sala de triagem.

Foi, ainda, disponibilizada uma viatura com motorista para que alguns dos cuidados prestados no Centro de Saúde sejam agora realizados no domicílio.

"A Câmara Municipal não poupará esforços para garantir os meios necessários nesta fase crítica da pandemia", refere o presidente da Câmara da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva, citado num comunicado municipal.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou mais de 200 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 8.200 morreram.

Das pessoas infetadas, mais de 82.500 recuperaram da doença.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o número de casos confirmados de infeção para 642, mais 194 do que os contabilizados na terça-feira. No entanto, este número baseia-se na confirmação de três casos positivos nos Açores, mas a Autoridade de Saúde Regional, contactada pela Lusa, sublinhou serem dois os casos positivos na região e adiantou estar em contactos para se corrigir a informação avançada pela DGS, baixando assim para 641.

O número de mortos no país subiu para dois.

Dos casos confirmados, 553 estão a recuperar em casa e 89 estão internados, 20 dos quais em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI).

O boletim divulgado pela DGS assinala 5.067 casos suspeitos até quarta-feira, dos quais 351 aguardavam resultado laboratorial.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.