Durante uma única sessão do julgamento, o tribunal da província de Ca Mau (sul) declarou Le Van Tri, de 28 anos, culpado de "propagação de doenças infecciosas graves a outros", disse a agência de notícias vietnamita (VNA) estatal.

De acordo com o tribunal, o réu interrompeu uma quarentena obrigatória de 21 dias em julho, ao deixar a cidade de Ho Chi Minh (antiga Saigão, no sul) e infetar oito pessoas, uma das quais morreu.

Até abril, a resposta das autoridades vietnamitas tinha conseguido manter a pandemia da covid-19 sob controlo, com apenas 35 mortes no total.

Mas o último surto da variante delta do novo coronavírus levou a um confinamento rigoroso em Ho Chi Minh, a cidade mais populosa do país, com os residentes proibidos de sair de casa desde 23 de agosto.

Apesar dos confinamentos, o número de casos é superior a dez mil por dia. Desde o início da pandemia, o Vietname contabilizou mais de meio milhão de infeções e mais de 13 mil mortes.

Na semana passada, o primeiro-ministro vietnamita, Pham Minh Chinh, reconheceu que o confinamento não pode ser mantido para sempre devido aos problemas económicos que cria e sugeriu que o Vietname devia mudar a estratégia de eliminação total do vírus para encontrar uma forma de viver com a doença.

Apenas 3% dos 97 milhões dos habitantes do Vietname receberam as duas doses necessárias para completar o processo de vacinação, enquanto cerca de 18% receberam a primeira dose.

A covid-19 provocou pelo menos 4.565.622 mortes em todo o mundo, entre mais de 220,65 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 17.810 pessoas e foram contabilizados 1.047.710 casos de infeção confirmados, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil ou Peru.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.