A debandada causou igualmente 100 feridos, dez em estado grave, segundo este balanço, números que poderão aumentar, precisou o ministério num comunicado.

Todos os anos centenas de milhares de xiitas vindos do mundo inteiro assinalam o martírio do neto do profeta Maomé, o imã Hussein, em Karbala, sendo esta a primeira vez que a ocasião é enlutada por uma debandada no Iraque.

Desde o início do mês muçulmano do Moarrão, o primeiro do calendário islâmico, há 10 dias, os muçulmanos xiitas entraram num período de luto.

Em Bagdad, ou em Bassorá e Najaf no sul, realizam-se procissões que atingem a sua maior intensidade no 10.º dia do Moarrão, o do Ashura, com homens a fustigarem-se e a golpearem o crânio para assinalar o martírio do imã Hussein, assassinado em 680 pelas tropas do califa omíada Yazid durante a batalha de Karbala.

Após o desfile, o Ashura termina com uma corrida ritual em direção ao mausoléu de Hussein, altura em que ocorreu a debandada.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.