Na votação no Parlamento, dos 688 votos válidos, 364 deputados disseram “sim” a Merkel, mais nove do que o necessário para atingir a maioria requerida, mas menos 35 do que a maioria teórica do total de eleitos conservadores e sociais-democratas (399).

Segundo os resultados da votação secreta, registaram-se nove abstenções e 315 votos contra.

A coligação de Merkel envolve os conservadores da União Democrata Cristã (CDU) e da União Social Cristã (CSU), bem como o Partido Social Democrata (SPD), de centro esquerda, cujos deputados, no total, representam 399 assentos parlamentares.

A votação de hoje põe termo a 171 dias de impasse governamental — mais do dobro do anterior recorde –, criado após as eleições de setembro, em que os três partidos perderam força política num país cuja economia é a maior da Europa.

Angela Merkel, líder da CDU desde 2000, assumiu o cargo de chanceler alemã pela primeira vez a 22 de novembro de 2005.

Nos três mandatos anteriores, Merkel esteve à frente do Governo alemão sempre depois de ter formado coligações.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.