O local, situado a sudeste do Planalto de Gizé, contém túmulos de vários períodos, incluindo um de pedra calcária da família da quinta dinastia (por volta de 2500 a.C.), anunciou o ministério.

Um fotógrafo da AFP, a quem foi permitido acesso à tumba, viu inscrições nas paredes, sarcófagos de madeira pintados e esculturas de animais e humanos.

O ministério disse que a tumba era para duas pessoas: Behnui-Ka, que tinha sete títulos, que incluíam o de Sacerdote e o de Juiz, e "Nwi", também conhecido como Chefe do Grande Estado e "purificador" do Faraó Khafre.

Este, conhecido pelos antigos gregos como Quéfren, construiu a segunda das três famosas pirâmides de Gizé.

"Muitos objetos foram descobertos na tumba", incluindo estátuas calcárias de um de seus ocupantes, da sua mulher e do seu filho, disse o ministério.

Ashraf Mohi, diretor-geral do Planalto de Gizé, disse que o cemitério foi amplamente reutilizado durante o período tardio, começando no início do século VII a.C.

O ministério também mostrou o que disseram ser caixões de madeira do período tardio com hieróglifos inscritos nas capas, juntamente com máscaras funerárias de madeira e argila.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.