Num mundo ideal, os cidadãos teriam de pagar em impostos um quarto do salário que recebem?

Julgo que não.

Se tivesse de escolher, e tem mesmo de optar, a União Europeia devia fazer uma aliança comercial com a China ou com os Estados Unidos?

Vou, se calhar, colocar a coisa em termos nacionais, e aí seria de acordo com as necessidades de cada momento e com as relações mais vantajosas para o tipo de necessidades que temos. Portanto, com todos, de acordo com as necessidades.

Acredita que é possível travar as alterações climáticas na legislatura europeia que agora começa?

Tenho muitas dúvidas sobre isso, até pela legislação que tem vindo a ser aprovada, como a ligada à questão do mercado de carbono, por exemplo. Na verdade, não altera muito aquilo que já existia. Julgo que podemos fazer legislação nova, até para adaptação daquilo que já não conseguimos evitar, e esta talvez possa ser uma boa legislatura para fazer isso.

Nos Censos de 2021 o INE devia ou não incluir uma pergunta sobre a origem étnica, as raízes, das pessoas?

Não sei em que moldes a pergunta seria colocada, penso que levantaria muitos problemas. Da parte do PCP, consideramos que deve haver instrumentos para sinalizar grupos que precisam de discriminação positiva. O que não sei é se os Censos serão o melhor instrumento.

A União Europeia deve ter um exército próprio?

Não.

Se não é o presidente que manda nisto tudo, e dizem-nos que não é, o que está a tornar tão difícil chegar a um consenso sobre quem serão os presidentes das diversas instituições da União Europeia?

Para mim, in loco é a primeira legislatura. Mas o histórico o que mostra é que são sempre os mesmos a ganhar, portanto já está tudo mais ou menos engendrado para que sejam sempre os mesmos a ganhar e o estado das coisas continue igual e as políticas sejam orientadas sempre na mesma direção.

Qual foi a primeira coisa que fez quando chegou a Estrasburgo?

Foi vir para o Parlamento. Vim duas vezes e das duas vezes vim diretamente para o Parlamento. Não foi fácil, o edifício não é amigável para novatos - já disse que devia haver uma aplicação que nos levasse aos gabinetes.

Descreva a última vez que se irritou.

Foi há bocadinho, por causa do gabinete. O nosso gabinete é muito longe, e tínhamos vinte minutos [de intervalo] e eu queria ir ao gabinete e não conseguia, porque demorava dez minutos a ir e dez minutos a voltar. É muito irritante, porque aqui não tenho nada para fazer, tenho as coisas no meu gabinete, e perco o tempo todo na viagem.

Tem alguma comida de conforto?

Tenho uma comida de consolo, que é um ovo estrelado. Ovos estrelados.

Alguém merece ter cem milhões de euros?

Se depois os distribuir bem por quem precisa, acho que pode ter.


Afinal, da esquerda à direita, os deputados europeus não são tão diferentes como poderíamos pensar. A maioria acredita mesmo que não pagamos demasiados impostos, é contra um exército europeu, prefere os EUA à China, admite irritar-se com facilidade e é bom garfo. Ainda assim, há diferenças. Estas foram as respostas de Sandra Pereira, mas a eurodeputada do PCP não foi a única a responder. Saiba mais aqui.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.