Fonte da empresa disse à Lusa que a bordo do voo, que vai pernoitar em Díli antes de regressar a Lisboa, estão já confirmados 138 passageiros, entre os quais professores da Escola Portuguesa de Díli e outros cidadãos portugueses.

O voo ‘charter’, uma operação complexa que envolve as autoridades dos dois países, estava inicialmente previsto para sair de Lisboa a 06 de setembro, tendo sido adiado várias vezes.

Entre os passageiros contam-se estudantes e professores timorenses que viajaram do Brasil, de Cuba, de Israel e do Reino Unido, com escala em Lisboa.

Há também portugueses que regressaram a Portugal devido à pandemia do novo coronavírus e agora pretendem voltar para Timor-Leste.

Responsáveis da empresa explicaram que o último adiamento se deveu a um pedido da Embaixada de Timor-Leste em Portugal, para permitir que os estudantes timorenses noutros países chegassem a Lisboa.

Inicialmente estava previsto que seguisse no voo um grupo de professores destacados em Timor-Leste ao abrigo de um projeto luso-timorense em escolas timorenses, o que já não ocorrerá por decisão do Ministério da Educação timorense.

O ministro da Educação, Juventude e Desporto timorense, Armindo Maia, reafirmou o empenho e o compromisso das autoridades do país em manter e até ampliar a cooperação com Portugal no setor educativo e da língua.

“Estamos totalmente empenhados e comprometidos em continuar e reforçar esta cooperação. E estamos já a ver a lista de até 160 professores portugueses para o recrutamento para os Centros de Aprendizagem e Formação Escolar (CAFE)”, disse à Lusa.

“Tive de tomar uma decisão muito difícil. Desde o início que estávamos comprometidos com o regresso dos professores, mas houve várias alterações na data do voo, que ficou para 20 de setembro”, explicou.

Em causa está a situação de um grupo de 88 dos 138 professores destacados nos CAFE, regressado a Portugal num voo de repatriamento no início de abril.

Desenvolvido em conjunto pelos Ministérios da Educação de Portugal e de Timor-Leste, que partilham as despesas, o projeto centra-se na requalificação do ensino timorense em língua portuguesa, em escolas públicas em todos os municípios e na Região Administrativa Especial de Oecusse-Ambeno (RAEOA).

No voo de domingo vão viajar cerca de 50 docentes e acompanhantes da Escola Portuguesa de Díli (EPD), onde arrancou hoje o ano letivo com os alunos do pré-escolar, com os restantes níveis a começar na próxima semana.

Com medidas de segurança sanitária reforçada, incluindo o uso obrigatório de máscara, a EPD vai usar as primeiras semanas para consolidação do trabalho educativo, antes do regresso do total de professores, assim que completarem a quarentena.

A ligação Lisboa–Dili, no domingo, vai realizar-se num avião Boeing B767 da euroAtlantic, de 246 lugares, com escala técnica no Dubai.

O voo Dili-Lisboa está programado para 22 de Setembro, via Dubai e Singapura, estando já vendidos 46 lugares.

Para poderem viajar nos dois sentidos, os passageiros têm de apresentar testes negativos à covid-19 e, no caso de Timor-Leste, têm que cumprir uma quarentena de 14 dias e obter um novo teste negativo à doença, antes de poderem sair.

Timor-Leste tem atualmente um caso ativo da covid-19, com 26 doentes recuperados e está no quinto período do estado de emergência, que termina no início de outubro.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 936.095 mortos e mais de 29,6 milhões de casos de infeção em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.