“O produto atum em óleo de girassol, fabricado pela Frinsa, não é comercializado no nosso país”, informou, em comunicado, o grupo.

Em causa, está o atum em conserva no formato "RO 900" de óleo de girassol, da marca DIA, com o número de lote 19/154 023 02587, com data de consumo preferencial até 31/12/2022.

A DIA indicou ainda que, em Espanha, está a pedir aos seus clientes que devolvam este produto na loja mais próxima.

O lote foi retirado de todas as lojas DIA em Espanha em 10 de agosto, “de forma preventiva”, após aviso das autoridades sanitárias.

“À data de hoje, a empresa recebeu por parte da Agência de Segurança Alimentar Espanhola (AECOSAN) a confirmação da presença da toxina botulínica na análise de uma única lata”, apontou o grupo, sublinhando que vai entrar em contacto com todos os clientes que possam ter adquirido este produto.

“O Grupo DIA lamenta profundamente todo e qualquer inconveniente que esta situação possa ter causado aos seus clientes e garante que irá continuar a assegurar os mais altos ‘standards’ de exigência em qualidade e segurança alimentar para todos os seus processos”, concluiu.

A Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) já tinha esclarecido, em resposta à Lusa, que este atum não está a ser comercializado em Portugal.

A toxina botulínica é uma neurotoxina produzida pela bactéria 'Clostridium botulinum'.

A ingestão de alimentos contaminados pela toxina botulínica produz botulismo, uma doença caracterizada pelo desenvolvimento de distúrbios vegetativos, como boca seca, náuseas e vómitos, e por paralisia muscular progressiva.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.