“Dois alpinistas morreram na quarta-feira”, disse Mingma Sherpa, da agência Seven Summit Treks, à agência de notícias France-Presse (AFP).

O alpinista suíço “sofreu de exaustão” após atingir o cume, indicou outro membro da organização

“Enviámos mais dois sherpas com oxigénio e comida, infelizmente os sherpas não conseguiram salvá-lo”, acrescentou.

O alpinista norte-americano tinha conseguido chegar ao degrau Hilary, mas sofreu de cegueira da neve e exaustão, teve de ser ajudado a recuar, disseram os organizadores. Conseguiu chegar ao Campo 4 onde morreu pouco tempo depois.

Os corpos dos falecidos estão localizados a grande altitude, e as condições meteorológicas desfavoráveis estão a impedir que sejam recuperados.

O Evereste tem visto um número crescente de alpinistas a tentar alcançar o cume, causando uma sobrelotação que tem sido culpada por várias mortes.

Como resultado, o Ministério do Turismo do Nepal anunciou regras para limitar o número de alpinistas que tentam alcançar o “teto do mundo”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.