Os dois suspeitos, de 21 e 33 anos, também foram acusados de posse de arma de fogo e munições com a intenção de pôr em risco a vida, de participação em revolta, de carregar consigo coquetéis molotov e provocar incêndio, relatou a polícia em comunicado divulgado na noite de quinta-feira.

Ambos deverão comparecer no tribunal de Londonderry nesta sexta-feira, em conjunto com um terceiro homem, de 20 anos, acusado de posse de coquetéis molotov e de participar em distúrbios.  Um quarto indivíduo, de 19 anos, foi posto de liberdade.

Os quatro tinham sido detidos na quarta-feira (15) em Londonderry, uma cidade na fronteira com a República da Irlanda.

Em meados de fevereiro de 2020, o suspeito Paul McIntyre foi acusado de homicídio. Segundo o seu advogado, o seu envolvimento consistiu na recolha das cápsulas de bala após o assassinato, defendendo, porém, que não terá sido ele a atirar sobre a jornalista.

A arma do crime foi encontrada e identificada em meados de junho. Posteriormente, em julho de 2020, um homem de 27 anos foi acusado de cometer infrações à lei sobre armas de fogo.

Lyra McKee foi morta a tiro em 18 de abril de 2019, na zona católica de Creggan, em Londonderry.

Criado em 2012, o grupo republicano dissidente Novo IRA admitiu a responsabilidade pela sua morte numa declaração ao jornal The Irish News.

O novo IRA alegou que a jornalista estava "em conjunto com as forças inimigas", referindo-se à polícia, e transmitiu "desculpas sinceras e sem reservas" aos seus familiares.

A sua morte causou grande comoção na Irlanda do Norte, revivendo a memória dos "Troubles", três décadas de conflito sangrento entre republicanos católicos e unionistas protestantes, o qual também teve a participação do Exército britânico.

Com um balanço de cerca de 3.500 mortos, o conflito chegou ao fim com o Acordo de paz da Sexta-feira Santa de 1998, que exigia a retirada das forças britânicas e o desarmamento do Exército Republicano Irlandês (IRA). Grupos dissidentes, como o Novo IRA, continuam ativos, lutando pela reunificação da ilha da Irlanda.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.