“Para libertar todo o poder dos recursos do Governo federal, declaro oficialmente uma emergência nacional”, anunciou hoje o Presidente, elogiando o esforço que está a ser feito pelo Departamento de Saúde norte-americano.

Para além da declaração, Donald Trump colocou à disposição das autoridades de saúde estaduais e locais um fundo de emergência de mais de 50 milhões de dólares para ajudar a fazer face à propagação da doença.

Trump disse que também dá às autoridades de emergência sob controlo do secretário de Saúde e Serviços Humanos, Alex Azar, autorização para renunciar aos regulamentos e leis federais para dar aos médicos e hospitais flexibilidade no tratamento de doentes.

"O nosso principal objetivo é impedir a propagação do vírus", declarou depois de anunciar que serão disponibilizados mais de "meio milhão de testes adicionais" no início da próxima semana.

Recorde-se que os EUA suspenderam os voos de países da União Europeia a partir desta sexta-feira.

"Para impedir que novos casos entrem em nosso país, suspenderei todas as viagens da Europa para os Estados Unidos pelos próximos 30 dias", disse o Presidente durante um discurso proferido na Sala Oval.

Trump fez o anúncio durante um raro discurso na Sala Oval dirigido à nação, depois de vários dias em que procurou minimizar a ameaça, culpando a Europa por não agir com rapidez suficiente para lidar com o novo coronavírus e alegando que os casos registados nos EUA foram "semeados" por viajantes europeus.

Os EUA têm 1.701 casos confirmados de Covid-19 e já registaram 40 mortes.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.