A organização do Douro Rock define a iniciativa como um palco onde as “novas gerações da música se cruzam com nomes mais consagrados”.

Desde rock, pop, indie, soul e hip-hop, os vários estilos musicais misturam-se num festival 100% português que, de sexta-feira a sábado junta nomes como Xutos e Pontapés, The Legendary Tigerman, The Gift, Samuel Úria, Frankie Chavez, The Twist Connection, Mishlawi e Kappa Jotta.

O presidente da Câmara Municipal da Régua, José Manuel Gonçalves, diz que o festival - cujo palco se situará na margem do rio Douro, junto à cidade do Peso da Régua, no distrito de Vila Real - “contribui para a afirmação e divulgação da região”.

O autarca realçou ainda o impacto económico do evento, a nível da restauração e da hoteleira, e disse ter a expectativa de que o número de visitantes aumente nesta terceira edição.

O Douro Rock, além de promover a música portuguesa, quer divulgar a gastronomia e os vinhos desta que é a primeira região demarcada e regulamentada do mundo, classificada como Património Mundial da UNESCO em 2001.

Com campismo gratuito para os portadores de bilhete para o festival, e uma zona de alimentação, o Douro Rock conta ainda com a presença de marcas de vinho da região.

Entre 2016 e 2017, o festival passou dos 5.600 espetadores para os 10.800. Nesta terceira edição, a organização quer consagrar o evento.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.